Mensagem de Natal

Leitura de Domingo, 22 Dezembro 2019
Laurence Freeman, OSB

Extraído da mensagem de natal de Laurence Freeman OSB de 2009.

Os seres humanos contam histórias para gerar o sentido que precisamos descobrir, de modo a vivermos bem. Narrativas da Escritura, assim como a do nascimento de Jesus, fornecem maior significação a cada vez que as relembramos, por estarem tão interligadas com as histórias de nossas próprias vidas. O aprofundamento de nossa experiência espiritual, a elevação e o esclarecimento da consciência, que são o resultado de nossa meditação, são nutridos pela Palavra que está viva e ativa. O que, também, nos leva de volta à Escritura com uma renovada fome e capacidade de entendimento.
O Natal é um banquete de significados. Muitos deles se refletem em nossas formas culturais de celebração desse período do ano.[...] Todavia, todas essas formas dependem da experiência pessoal do que o Natal significa mais essencialmente: a pobreza e a simplicidade radical, a intoxicante proximidade com Deus que nossa total dependência revela.
Unamo-nos em nossos corações, uns com os outros, nesse período cheio de alegria. Que possamos recuperar o necessário amor à terra, se quisermos reparar os danos que a ela causamos. Que a nossa vida em comunidade possa incrementar a energia de paz que nosso mundo dividido se esforça por alcançar, bem como a justiça da qual a paz depende: a verdadeira sabedoria personificada pelo recém-nascido Jesus.

 

original em inglês

 

An excerpt from Laurence Freeman, OSB, unpublished “Christmas Message,” 2009.

Human beings tell stories to make the meaning that we need to discover in order to live well. The narratives of scripture, like that of the birth of Jesus, give greater returns each time we recall them, so freshly intertwined are they with the stories of our own lives. Our deepening spiritual experience, the raising and clarifying of consciousness that is the result of our meditation, is fed by the Word that is alive and active. It also leads us back to scripture with a new hunger and capacity for insight.

Christmas is a feast of meaning. Much of it is reflected in our cultural forms of celebrating at this time of year. [ . . . .] But all these forms depend on the personal experience of what Christmas is most essentially about – the radical poverty and simplicity, the intoxicating proximity to God that our total dependence reveals.

Let us hold each other in our hearts in this joyful season. May we be restored to the love of the earth needed if we are to repair the damage we have inflicted on it. May our life as community increase the energy of peace that our divided world is striving for as well as the justice on which peace depends – the very wisdom that the newborn Jesus embodies.